Logotipo CNM Muncípios Contra a Dengue

Envie-nos seu material, boa prática, sugestões, ideias, opiniões e dicas

Minas Gerais confirma quatro novas mortes por febre chikungunya

19 de julho de 2017

Pref. Iconha/ESUm boletim epidemiológico divulgado no dia 17 de julho pela Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG) revela novas mortes por febre chikungunya em Minas Gerais. Segundo o registro, chega a cinco o número de óbitos no território mineiro em 2017. Há duas semanas, o órgão havia confirmado o falecimento do primeiro paciente vítima da doença.

Todos as cinco mortes confirmadas até o momento ocorreram no Município de Governador Valadares. Esses são os primeiros registros de óbitos causados pela febre chikungunya em Minas Gerais neste ano.

Até então, só haviam sido confirmados casos da doença em 2014. Naquele ano, houve 18 notificações, mas todas foram de pessoas infectadas fora do Estado. Somente em 2016 é que as primeiras transmissões de febre chikungunya em território mineiro foram confirmadas.

Estão em análise outras 15 mortes, das quais 11 foram em Governador Valadares. Outras duas ocorreram em Teófilo Otoni, uma em Central de Minas e uma em Cuparaque. Ao todo, o número de casos prováveis da doença no Estado para este ano é de 17.510.

Entenda

A febre chikungunya é transmitida pelo mosquito Aedes aegypti, mesmo agente transmissor da dengue e do vírus Zika. Os sintomas surgem entre dois e 12 dias após a infecção. A vítima pode ter febre alta, dores intensas nas articulações e nos músculos, dor de cabeça, cansaço, mal-estar e manchas vermelhas na pele.

Uma vez curada, a pessoa fica imunizada para o resto da vida. Não há vacina e a principal medida de prevenção é o combate ao mosquito, sobretudo com a eliminação dos seus criadouros, aponta o Ministério da Saúde.

Engajamento municipal

Diante da importância do tema, a Confederação Nacional de Municípios (CNM) lançou um movimento de combate ao Aedes aegypti. O intuito é auxiliar os gestores municipais a compreenderem melhor o tema para desenvolverem ações locais efetivas.

As informações fazem parte de um hotsite, que orienta os prefeitos sobre como elaborar um diagnóstico situacional. Por meio de cinco passos, o Município consegue delinear ações e estratégias coerentes com a realidade local.

O hotsite oferece ainda um conjunto amplo de estudos, informativos e materiais de apoio. Todo o conteúdo pode ser acessado gratuitamente.

Clique aqui e acesse

Agência CNM, com informações da Agência Brasil